Sunday, November 23, 2008

Continua chovendo na cidade cinza. continua sem gosto respirar o ar, continua pastel as cores da foto.
--------------------------------

Eu pensei que um ano se passaria rápido, sem sofrimentos, e agora me encontro aqui: nesta mesma casa de quatro anos atrás, mas já sem a alegria de começar uma nova fase da vida. Agora tudo parece estar acabando, eu pareço estar acabando.
E nós continuamos presos, cada um em sua casa, tudo alagado, sem tons, sem contrastes, sem contrastar-se com a paisagem, ou com o céu, que chove sem parar. Fome de um dia que não vem após o outro, da confusão da cidade que arde, ou que não arde nesse fim de domingo cansativo e pesado, debaixo de tanta água, de tanta sede, de tanto querer que se perde.

-------------------------------------

Um ano sem nada a dizer. Guardando as palavras mal digeridas dentro de mim, tudo por nada, tempo que passa e não volta, merda, merda, fiz tudo errado. Ou será que aconteceu errado, sem mim, mesmo sem eu querer?

--------------------
Um beijo, um destino, tudo por uma possibilidade... valeu a pena? Percorro meu corpo tentando causar sensações proibidas... fica tão mais bonito na música. "Wondering stars... for whom it is reserved". Ninguém mais me vê, estou em todos os carros, não vejo saída, encerrada nesse quarto mal iluminado. E a chuva, que não acaba mais, tudo acabando. Um banho, uma cachaça, um filme: mais um fim de domingo.

2 comments:

haroldo lima said...

luisa, tão bonito como tá escrito e tão feio quando se olha o céu e ele continua negro..
enfim domingos, novembros chuvosos e amores perdidos...

Katarine said...

É, os domingos não têm sido mais como antigamente. Os anos tb não. Fazer o quê. Mas temos que ter ânimo, se não, a chuva carrega tudo embora.
Parabéns pelo belo blog!