Monday, August 22, 2005

a borboleta de lata

Hoje o post é longo, e de algum modo verdadeiro.

Já eram 6 da tarde quando meu querido amigo que eu tinha, até então, medo de chamá-lo assim, me animou pra ir no Dj Malboro. Eu ainda com dúvidas, e ele falou a palavra mágica; aceitei na hora, tomei banho, peguei um ônibus. Me perdi mais ou menos 3 horas em pensamentos como: ele conversa tanto com ela, mas me diz lindamente que não ocorre sempre o que queremos. nós dois assim, em par, ele fala por nós dois. Não desminto. Enfim, entramos. Ele ficou do lado de fora e eu quase morri. Aí as músicas que me divertiam tanto há 4 meses atrás não agradavam mais o ouvido. Estranhamente, essa foi a máxima, de perceber o quanto sou influenciável, ou até mais, mudei de verdade, e essa seria uma nova fase, talvez mais reflexiva, talvez mais madura, isso não sei dizer. Mas foi importante ter novos amigos, descobrir que meu universo paralelo está ali há 10 minutos de mim e se chama ufes, namorar com alguém muito diferente de mim, tudo abre caminhos diferenciados pra ver o outro lado da história. Ter sentimentos estranhos de apego a toda forma peculiar de imagem, som, movimento, luz. Eu não costumava nem observá-las, e agora batem fundo dentro de mim.
Aí finalmente consegui desistir de ter pensamentos vãos e ciúmes e decidi que o importante ali e naquele momento, era se divertir e ele não devia fazer parte de mim como faz! E aí começou um tal “show” de funk com o "Faraó" e as pessoas dançavam freneticamente. Não foi difícil entrar no clima. De repente o Dj Malboro entra em ação, eu apertei a tecla foda-se e foi uma das noites mais divertidas das férias. Dancei até o chão, rebolei muito, ri muito. E ainda ganhei beijinho no final!

Cenas da noite - sob meu ponto de vista - e que não deu tempo de postar antes:

- Na primeira batida do pancadão, o grito e então todas, eu digo todas sem excessão, as pessoas começam a dançar muito animadas.
- Todos os tipos de pessoas possíveis, do estilo patricinha ao funkeiro, passando por alternativo, dançavam frenéticos na pista.
- os passinhos complexos de Léo Viso.
- Eu e Mãe Lora (tb conhecida com Samantha) dançando até o chão todo o tempo.
- "e se marcá eu beijo merrrrmooooo"
- Malboro sorteia um livro sobre o funk. sim, existe até livro.

Moral da história:

pra tudo que não foi e queríamos que fosse.
queríamos.
mas tudo foi, passou, eu vi que nada em seus olhos eram assim, como era pra mim. pensei tanto, chorei tanto, e pra quê. "é uma pena, mas você não vale a pena. não vale uma fisgada dessa dor."
desisto!

e se eu for o primeiro
a prever e poder
desistir do que for dar errado
ahhh olha se não sou eu
quem mais vai decidir
o que é bom pra mim
dispenso a previsão
ahhh se o que eu sou
é tambem o que eu escolhi ser
aceito a condição

Adoro profundamente a tecla foda-se. E “baile funk” é o que há!

6 comments:

kerols said...

oiiii!!

putz fiz churras sabado mas nao tinha seu cel...
quando o conrado chegou ja estava mais loca que o bozo e esqueci de pedir pra vc ir...

maaas aconteceram certas coisas que invalidaram o que podia ter sido um churrasco perfeito...se vc acha ruim chorar em casa, imagina chorar tao alto que mesmo com a musica ligada seus amigos escutam e vao ver se eu to bem...no meu churrasco de despedida chorar por alguem é o final dos tempos...

mas enfiiim..foi bem legal!

vamos ver se rola algo hj ou amanha pq vou embora quarta!! beeejo

ViSo said...

100% Atitude:
Leva esporro da mãe, mas não perde o beijo embaixo da cabaninha do Planeta Ibiza! hahahaha EU VI!!!

"meu querido amigo que eu tinha, até então, medo de chamá-lo assim, me animou pra ir no Dj Malboro. " Esse sou eu??? hahahaha

T mais Eluisangela

tchesco said...

bixo... na boa... matilde deve estar morta... as unicas pessoas que querem ir somos nos dois ... clarinha ja nom esta mais afim... :~ mas ok...

bixo... sobre o seu post, sei lá nao tenho ideas tao modernas quanto a de certas pessoas mas mudar é procurar novos conflitos e conflitos sao sempre bons ! bejom dona luisA!

homem de lata said...

atraído pelo título como um inseto pela luz.

Elisa said...

Pois é assim Dona Eluisângela, a gente entra na universidade pensando que vai mudar sem saber que vai passar um tornado na nossa vida, revirar nossos conceitos, nossas relações, enfim, enfim...
E funk é o que há! Deeeesce, deeesce, deeeesce gla-mou-ro-sá! ahuahuahua. Bjokas!

ps.: tb adoro o ctrl+F

lully said...

eu sempre esqueço que a srta. tem blog. aí eu entro no fotolog da clara e vejo no link. aí eu lembro de como eu gostaria de fazer um também e nunca faço. quando vc vier pro rio vai me ajudar, porque o grande problema é o layout e tal, eu não sei fazer essas coisas. enfim, venha logo. pra me ajudar a fazer o blog e pra mais um milhão de coisas. quem sabe até me levar pra dançar ao som do DJ Malboro, tenho uma amiga aqui que adora funk.
saudades, até amanhã!
mil beijos
lully